sexta-feira, 22 de agosto de 2008

FUTURO TENEBROSO !!!!!!!!



Relato de um torcedor do Bahia (estamos no ano de 2070):

Acabo de completar 90 anos, faço parte da última geração de torcedores do Bahia. Restam cerca de 20 mil torcedores em todo o Brasil. Creio que me resta pouco tempo, hoje sou uma das pessoas mais idosas dessa sociedade.

Recordo-me quando era criança, tudo era diferente...

Havia milhares de torcedores na Fonte Nova, estávamos orgulhosos ainda do bicampeonato nacional que conquistamos em 1988. Éramos o orgulho do Nordeste! Nosso time era vibrante, do povo, raçudo, causava arrepios quando via e ouvia aquela massa cantando em coro. Era a nossa Fonte Nova, local que hoje abriga uma lataria de arena velha, que foi inaugurada na copa de 2014 e está interditada pelo governo porque não tem verba para reformá-la. Pituaçu ? Foi privatizado em 2011. O nosso rival ganhou a licitação devido a incompetência dos nossos administradores, que ainda hoje, é administrada pela mesma corja, por Maracajá Neto.

Grandes Torcidas como Bamor, Terror Tricolor, Povão, Tricoloucos e Fiel foram extintas, muitos membros se suicidaram. Hoje existe apenas uma associação dos velhos torcedores, como era a do Ypiranga por volta do ano 2008. Antigamente, tínhamos um C.T. chamado Fazendão. Hoje está penhorado pela justiça devido à montanha de dívidas que se acumularam ao longo dos anos, resultado de novas leis criadas e mais severas. Nossos time agora é de bairro e é treinada na praia pelo técnico Artuzinho Neto.

Tínhamos orgulho de sair com a camisa do Bahia, naquela época. Hoje, as crianças não acreditam que o manto sagrado era tão temido pelos adversários. Éramos time da séria A, hoje participamos do intermunicipal, viramos futebol amador.

Recordo-me que existiam muitos protestos por aqueles que enxergavam a decadência do E.C.Bahia. Hoje, como foi dito acima, muitos revolucionários se suicidaram. Alguns estão no sanatório como o famoso Neto de Binha de São Caetano. Antigamente, tínhamos condições de montar uma super estrutura de sócios. Hoje, o clube só vive de doações e leilões de relíquias como o troféu de campeão brasileiro conquistado em 1988.

Divisão de base não existe mais e os jogadores amadores passam fome e sede devido aos problemas sociais e ambientais que assolam a nossa sociedade. O barril de água custa muito caro. Cada jogador amador bebe meio copo de água por dia de treinamento. O clube paga ao técnico Artuzinho Neto em forma de cesta básica. A penhora do Fazendão pela justiça ainda é pouco. Os números das dívidas chegam à casa dos bilhões. A nova lei proíbe mudanças de razão social do clube. Meu neto me pergunta: - Vovô, por que o Bahia acabou? Então sinto um nó na garganta...

Não posso deixar de me sentir culpado, eu fiz parte da geração que deixou o Esporte Clube Bahia acabar, sem prestar atenção nos avisos. Poderia ter mudado o rumo da história se lutasse mais um pouco pelas eleições diretas, por volta de 2008. Hoje, nos programas esportivos locais, o Bahia, o Galícia e o Ypiranga só são lembrados no quadro: “ARQUIVO DO FUTEBOL”, com duração de 2 minutos semanais.

Alberi Bitencourt
Leitor do SEMPRE BAHIA
Este texto foi extraído do comentário de um leitor da matéria A DECADÊNCIA DO BAHIA publicada aqui no SEMPRE BAHIA, em 10 de julho de 2008.
ATENÇÃO TORCIDA TRICOLOR
O Site SEMPRE BAHIA tem este espaço para sua participação. A Coluna FALA BAHIA é democrática, onde todas as correntes de pensamento poderão opinar, desde que não existam ofensas pessoais e haja um mínimo de respeito e decência nas entrelinhas, além de ser um texto interessante, é claro!
Vamos lá, estamos aguardando seu texto, mande pra gente no endereço
semprebahia@semprebahia.com e escreva no corpo da mensagem: "Autorizo a publicação desse texto na Coluna Fala Bahia do site SEMPREBAHIA.COM". O texto deve ter, no máximo 3.000 caracteres (incluindo espaço) e estará sujeito à nossa edição.

2 comentários:

Dalmo Carrera disse...

Bom legal a ironia do Alberi Bitencourt, só acho que ele exagerou quando viajou até o ano 2070. Este universo imaginário que não é tão imaginário assim, seguramente pode caber já nos próximos anos se este pessoal cretino, amador, sem imaginação, sem moral, sem crédito, sem respeito pelo próprio torcedor, sem articulação, sem coisa alguma ainda estiver mamando e mandando no Bahia.

Anônimo disse...

Poxa, deu até arrepios...