terça-feira, 25 de novembro de 2008

TRAGÉDIA FAZ UM ANO



Hoje faz um ano que aconteceu a MAIOR TRAGÉDIA DO FUTEBOL BRASILEIRO.

Em 25 de novembro de 2007, estava tudo pronto para ser uma grande festa. O clima da cidade lembrava a final do Campeonato Brasileiro de 1988. No trajeto até a Fonte Nova era só felicidade, uns carros tocavam o hino, outros buzinavam, muitas pessoas com bandeira na mão, todas com a camisa tricolor. Meninos acenando, as ruas repletas de gente, tudo lindo até a chegada ao estádio...

O estádio Otávio Mangabeira estava lotado em sua capacidade máxima, a torcida do Bahia estava empolgada porque empatando o jogo contra o Vila Nova se garantiria entre os times que subiriam para a Série B de 2008. Depois de anos de agonia e tristeza, com três rebaixamentos sofridos, finalmente a Nação Tricolor voltaria a ter o que comemorar...

A partida terminou empatada em 0x0... não foi muito boa tecnicamente, mas o tricolor conseguiu sair do Inferno da Série C e... explodiu uma enorme festa. Trios elétricos na porta do estádio começaram a tocar, as pessoas pulavam, gritavam e cantavam. Os mais exaltados entraram em campo para comemorar, mas alguns marginais fizeram uma verdadeira baderna: arrancaram grama, quebraram o banco de reservas e o carrinho da maca, etc.



Mas, o pior ainda estava por vir, aliás já tinha acontecido e quase ninguém sabia... Perto do final do jogo, uma parte do piso da arquibancada se abriu e diversos torcedores caíram para o lado de fora do estádio de uma altura de mais de 15 metros.



O RESULTADO: SETE TORCEDORES MORRERAM...



Foi um verdadeiro balde de água fria jogado na cabeça de cada torcedor... muitos já estavam pulando atrás do trio sem saber do ocorrido. Ao ser anunciada a tragédia, acabou a música, acabou a alegria e a torcida do Bahia voltou a sofrer...

O que ocorreu foi inaceitável. Não se tratou de uma fatalidade como muitos falaram... Fatalidade é cair um raio, ou acontecer um terremoto. Uma laje de arquibancada não suportar a carga à qual foi prevista não é acidente. É NEGLIGÊNCIA. Um estádio de 50 anos de idade, que não tem a manutenção adequada, não pode receber 60 mil pessoas sem um laudo técnico comprovando sua segurança. E se algum profissional deu esse laudo ele é o responsável pela tragédia. Qualquer leigo sabe que a velha estrutura da Fonte Nova estava em ruínas. As ferragens do concreto armado estavam expostas sendo degradadas pelas intempéries em todos os setores do estádio...

Um ano se passou e ninguém foi responsabilizado...

Até hoje não aparceram os culpados...

6 comentários:

Fernando disse...

Foi muito triste. eu estava lá. nunca vou me esquecer desse dia, todos ficaram com medo de ter algum amigo ou parente entre as vítmas

João disse...

A MAIOR PIADA QUE EU OUVI NOS ULTIMOS ANOS, É QUE NAQUELE JOGO TINHAM 60 MIL KKKKK....NAO TINHAM MENOS DE 80MIL E MAIS 15 DO LADO DE FORA

SILVANO RIOS disse...

O DIA QUE TINHA TUDO PARA SER MARAVILHOSO, FOI UM DIA TRISTE...

Presenciei muita cena triste e quase fui uma das vítima...

Tudo isso marca e mostra como precisa haver uma mudança radical no nosso Amado Bahia, chega de tragédias, humilhações, goleadas, desunião, interesses próprios, chega de Canalhas Incompetentes a frente do nosso amado clube!
O Bahia é muito maior do que podemos imaginar, vamos unir nossas forças, o momento é esse.

Meus Sentimentos aos famíliares das vitimas...


Saudações Tricolores Sempre!

Anônimo disse...

Os culpados toda Bahia sabe quem são ,agora duvido muito que eles serão punidos até mesmo porque os responsáveis diretos foram retirados do processo, foi o caso da diretoria do ECBahia que pressionou os agentes do Estado p/colocar capacidade do estádio acima do que era suportável.

Augusto ( FBDC ) disse...

É uma pena q nossos amigos tricolores tenham pagado com suas vidas pela falta de responsabilidade de um grupo ganancioso, egoísta e mal-caráter.Complicado saber q um dos ídolos de do Bahia tenha compactuado com esse crime, torcedores esses q já gritaram o nome de Bôbô.Mas brasileiro e principalmente baiano devem ter cara de otário pois tudo cai no esquecimento. Nosso governador ( aquele mesmo q prometeu pituaçu ) no período da tragédia chegou a dizer q os familiares receberiam uma pensão vitalícia, é uma piada e de mal gosto.Meu avó era Bahia , meu pai é Bahia, sou Bahia de coração, mas será q meu filho será Bahia? Esses dirigentes irão permitir q o bahia continue existindo? Do jeito q as coisas andam...Antigamente sentiamos frustações por uma derrota aqui outra lá, mas agora virou rotina, não satisfeitos de ver o nosso sofrimento eles levam agora as vidas de pessoas verdadeiramentes apaixonadas por um clube.Nosso hino têm uma parte q fala " Mais um , mais um Bahia, mais um, mais um título de glória... é assim q se resume a sua história. " Hj nossa história comporta essa tragédia, história q era p ser só de amor, de luta, de títulos etc. Me sinto enojado e envergonhado por saber q esse crime ficará impune , coisas do Brasil.
Solidariedade as famílias!
Abraço

Anônimo disse...

O seguinte adesivo, nas cores vermelho e azul, circulava no parachoque traseiro de um Toyota Corolla, modelo novo, na Paralela, na última sexta-feira: “Adianta o lado wagareza”.
A nota acima é do Política Livre. Não estranhe o vagareza com W. É crítica sutil (ou nem tanto) ao governo estadual.

Pô! Será que Wagner vai roubar a marca de Waldir Pires...